Apoios aos agricultores na futura PAC geram alguma fricção entre Estados-Membros



Os ministros da Agricultura de todos os Estados-Membros da União Europeia estiveram esta semana reunidos em Conselho de Ministros para debater o futuro da PAC pós-2020. Os apoios pagos aos agricultores estiveram na origem de alguma “fricção” entre os países, revelou o ministro da Agricultura português em declarações à imprensa.

De acordo com Capoulas Santos, citado pelo jornal Público, a reunião do Conselho de Ministros da Agricultura da UE desta semana revelou alguns “pontos de divergência” sobre “questões sensíveis”, nomeadamente “a questão da convergência dos apoios entre Estados-Membros”.

O responsável pela pasta da Agricultura afirma que em causa estão os apoios aos agricultores por hectare, questão onde persistem algumas diferenças entre países. “Naturalmente que aqueles que mais recebem resistem ferozmente à possibilidade de poderem vir a receber um pouco menos para que aqueles que recebem menos possam receber um pouco mais”, disse aos jornalistas, referindo ainda que “Portugal neste momento recebe cerca de 200 euros por hectare, em média, no primeiro pilar” e a média comunitária “ronda os 250 euros”.

“A posição portuguesa é que este processo seja gradativo, em que progressivamente, cada ano, os Estados-membros que mais recebem vão perdendo um pouco das ajudas para aqueles que menos recebem vão aumentando, para que no médio prazo o pagamento seja uniforme”, conclui.

Phil Hogan, Comissário Europeu para a Agricultura, acredita que a nova PAC deverá estar aprovada ainda antes das novas eleições para o Parlamento Europeu, que acontecem em 2019.


Fonte: Vida Rural ->  https://www.vidarural.pt/producao/apoios-aos-agricultores-na-futura-pac-geram-friccao-entre-estados-membros/
Data de publicação: 2018-03-21 08:40:45

345 visualizações