Notícias

Gripe aviária: aumenta o risco de surtos com a migração de inverno das aves selvagens

 

O mais recente relatório trimestral da Autoridade Europeia da Segurança Alimentar (EFSA) sobre a gripe aviária de alta patogenicidade  mostra um aumento da deteção de casos desta doença na Europa, tendo-se registado um atraso em relação a anos anteriores, provavelmente relacionado com o atraso verificado na migração de inverno das aves aquáticas selvagens.

Entre 2 de Setembro e 1 de Dezembro registaram-se 175 surtos desta gripe aviária em aves selvagens e 88 em aves domésticas, em 23 países europeus. Estes resultados estão em linha com as previsões feitas pelo Radar de Gripe Aviária, uma ferramenta que disponibiliza previsões semanais quanto à probabilidade de gripe em aves selvagens.

Sete das 11 variantes do vírus em circulação na Europa são novas e afetam aves de diferentes espécies, com especial incidência nos grous comuns. Foram detetados pela primeira vez casos em aves e mamíferos selvagens no Ártico.

Segundo este relatório da EFSA, o risco de infeções na Europa permanece baixo para o público em geral, e moderado para quem esteja particularmente exposto ao contacto com aves ou mamíferos, quer selvagens quer domésticos.

A EFSA publicou também o Relatório Anual da Vigilância da Gripe das Aves em aves de capoeira e selvagens, relativo a 2022.

 


Fonte: EFSA Consultar fonte
Data de publicação: 15/12/2023 17:01